Dia das Mães: presentes sobem menos que a inflação



Em média, variação de preços dos 27 produtos e serviços mais consumidos na data ficou em 2,55%, contra 2,98% do índice preços medido pelo IPC.

Os itens tradicionais de presente para o Dia das Mães subiram menos do que a inflação, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira (11) pela FGV/Ibre (Fundação Getúlio Vargas/ Instituto Brasileiro de Economia).

Na média, os 27 produtos e serviços mais consumidos na data tiveram alta de 2,55% entre maio de 2017 e abril deste ano, enquanto a inflação medida pelo IPC variou mais no período: 2,98%.

O estudo mostra que os calçados femininos, por exemplo, subiram apenas 0,67% no período. Os cintos e as bolsas tiveram alta de 2,12%, enquanto bijuterias tiveram elevação de 2,67%, abaixo da inflação.

Alguns itens tiveram até queda de preço em relação a 2017. Caso dos ingressos de teatro, que ficaram 15,68% mais baratos em um ano. Outro item que teve redução significativa, na categoria de produtos, foi o telefone celular, que barateou 7,91%. Já o custo dos televisores recuou 6,72%.

Quem preferir presentear a mãe com ingresso para algum show musical, porém, pode ser surpreendido: o custo dos bilhetes subiu, em média, 9,63% em 12 meses, mais que o triplo da inflação do período.

Já os preços de algumas opções bastante lembradas para a data subiram pouco mais do que a inflação. Roupas femininas tiveram aumento de 3,43% em um ano, enquanto a alta dos perfumes foi de 3,44%. Os relógios ficaram 5,89% mais caros, quase o dobro da inflação medida no período.

Fonte: Destak - Seu Valor


Compartilhe


Comentários