Estresse e ansiedade provocam a dor de cabeça tensional



Se a dor persistir, pode ficar crônica, durante 15 dias ou mais. Às vezes, nem o remédio dá conta! Para evitar a cefaleia tensional é preciso quebrar a rotina, desestressar. Exercício físico também ajuda.

Existem mais de 200 tipos de dor de cabeça, mas na prática, a imensa maioria, cerca de 90%, tem a ver com tensão e enxaqueca. As mulheres sofrem mais com este problema, como explicou o neurologista Antônio Cezar Ribeiro Galvão no Bem Estar desta quarta-feira (11). A fisioterapeuta Mirca Ocanhas deu dicas para acabar com a dor de cabeça e também o bruxismo.

A cefaleia tensional atinge mais quem tem entre 20 e 40 anos e é mais comum em mulheres do que em homens. As causas da dor são o estresse e a ansiedade. Ela vai de leve a moderada e incomoda bastante. A sensação é que uma faixa está apertando a cabeça, fazendo pressão. Normalmente, essa é uma dor que passa com repouso ou analgésico.

Se a dor persistir, pode ficar crônica, durante 15 dias ou mais. Às vezes, nem o remédio dá conta! Para evitar a cefaleia tensional é preciso quebrar a rotina, desestressar. Exercício físico também ajuda.

A percepção de dor é diferente para cada pessoa. A intensidade da dor de cabeça pode ser aceitável para uma pessoa e insuportável para outra.

Bruxismo

Sabe quando a pessoa range e aperta os dentes de forma involuntária? Isso é o bruxismo. Ele provoca desgaste nos dentes, dor na musculatura ao abrir e fechar a boca, hipertrofia dos músculos, dores de cabeça constantes e até doenças periodontais.

Na maioria dos casos, está relacionado a tensão muscular. Soltar a musculatura ajuda a aliviar essa pressão. Placa de proteção entre os dentes é a primeira alternativa. Outros métodos são a fisioterapia, estímulos elétricos e até uso de toxina botulínica.

Fonte: G1- Bem Estar


Compartilhe


Comentários