Serviços
Benefícios
Agenda de Cursos
Balcão de Talentos

Estudo mostra que até 20% casos de câncer de mama não precisam de quimioterapia



A descoberta pode ter um grande impacto na vida das mulheres. A pesquisa contou com a participação de uma médica brasileira.

O Bem Estar da sexta-feira (8) mostrou as novidades do maior congresso mundial de oncologia – a ASCO. Tratamentos menos invasivos aumentam a sobrevida e melhoram a rotina dos pacientes com câncer. Um novo estudo, que teve participação de uma médica brasileira, mostra que até 20% das mulheres com câncer de mama não precisam de quimioterapia. Participaram do programa dois oncologistas – Fernando Maluf e Arthur Katz.

Apesar de o câncer ser a segunda causa de mortalidade no mundo, de acordo com a OMS, quando olhamos a incidência há redução das taxas de mortalidade. Isso mostra que algumas mudanças no estilo de vida e nos cuidados com a saúde estão fazendo a diferença.

Câncer de mama e quimioterapia

De acordo com a pesquisa, os tumores hormônio-dependentes em estágio inicial – de até cinco centímetros – e em mulheres com mais de 50 anos não precisam de quimioterapia.

Além disso, nenhum gânglio linfático pode estar comprometido e a paciente ainda precisa ter uma pontuação abaixo de 25 num teste que mapeia a genética do tumor e determina o grau de agressividade e o risco de reincidência e de metástase.

Cerca de 10% a 20% de todos os casos de câncer do mundo se encaixam nessa descrição, como explica a oncologista Ingrid Mayer, uma das responsáveis pela descoberta. “O grande poder desse estudo é realmente poder diferenciar um pouquinho melhor quem realmente vai precisar da quimio e quem não precisa. Você continua salvando a vida de milhares de mulheres”, diz a oncologista.

O estudo acompanhou mais de dez mil mulheres entre 18 e 75 anos e concluiu que 70% das pacientes com esse tipo específico de câncer não tiveram nenhum benefício ao passar pela quimioterapia. O tratamento hormonal foi o suficiente para evitar que a doença voltasse.

Fonte: G1 - Bem Estar


Compartilhe


Comentários