Ômega-3 faz diferença para sua saúde?



O que é o ômega-3? Qual a diferença entre ômega-3 e ômega-6? Fazem bem para a sua saúde?

 

Buscar a vida saudável e com qualidade é desejo de quase todo mundo. Comer bem faz parte da fórmula mágica que nos proporciona aniversários felizes e despreocupados.

 

As gorduras fazem parte da nossa vida diária. Sabemos muita coisa sobre elas. Umas são do bem, outras são do mal, outras pululam do bem para o mal. Frituras devem ser evitadas, azeites e óleos vegetais podem ser consumidos e assim, com as informações científicas, vamos norteando – dentro do possível, claro – a nossa alimentação.

 

No entanto, além do supermercado, as farmácias também nos oferecem suplementos nutricionais que podem ajudar a complementar nossas necessidades diárias de alguns nutrientes específicos.

 

O ômega-3 e ômega-6 estão à nossa disposição, em cápsulas, nas prateleiras. O que são? Para que servem? Fazem bem? Vamos entender.

 

Ômega-3 e 6 são tipos específicos de gorduras. São os chamados ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa. O nome é complicado, mas trata-se de um tipo de gordura do bem. São considerados essenciais, pois não vivemos sem eles e nosso organismo não os produz. Resultado: só nos resta adquiri-los na alimentação.

 

As fontes naturais de ômega-3 são, principalmente, os peixes de águas frias como salmão, sardinha ou atum. A linhaça também é uma fonte de ômega-3. Já o ômega-6 é obtido com a ingestão de óleo de milho, de soja ou de girassol, por exemplo.

 

O ômega-3 é essencialmente importante para o organismo, em todas as fases da vida, a começar na vida intrauterina. Participa principalmente da formação da visão do feto e garante que a membrana das células fique mais fluida e possa desempenhar melhor suas funções em todos os órgãos.

 

O leite materno é muito rico em uma substância chamada DHA, que é derivado doômega-3. Este DHA é essencial para a o desenvolvimento neurológico do bebê.

 

Durante a infância e adolescência, o cérebro continua a se desenvolver e o ômega-3 continua e ser um nutriente de extrema importância, colaborando para o aumento da capacidade cognitiva de crianças e adolescentes.

 

Além disso, o ômega-3 também protege nossa saúde cardiovascular, diminuindo o risco de doença coronariana e infarto do miocárdio.

 

Sabemos hoje que a relação entre ômega-6 e ômega-3 na dieta é fundamental. Para que se tenha uma ideia, nossos antepassados ingeriam uma média de 5 ômega-6 para 1 ômega-3. Hoje, com a industrialização, nossa alimentação média é composta por uma relação de 15 ômega-6 para 1 ômega-3.

 

Esta relação não é considerada adequada para a saúde. Isto significa que precisamos aumentar a quantidade geral de ômega-3.

Deveríamos, portanto, comer mais alimentos ricos em ômega-3.

 

Crédito da foto: Stevepb/Pixabay/Creative Commons CC0

Fonte: G1- Bem Estar


Compartilhe


Comentários