Serviços
Benefícios
Agenda de Cursos
Balcão de Talentos

Redes de farmácias crescem acima da média do varejo no 1º semestre de 2018, aponta Abrafarma



Volume de vendas avança 7,5% impulsionado pelo segmento de OTCs/MIPs.

As 24 redes de farmácias e drogarias movimentaram R$ 22,78 bilhões no primeiro semestre desse ano, um crescimento de 7,54% sobre o mesmo período de 2017. O resultado permanece bem acima da média do varejo brasileiro — cuja alta foi de 3,1%, de acordo com o Boa Vista SCPC. Os dados são da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) e foram compilados pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP). Embora representem 9,2% do total de 76 mil farmácias no país, as redes associadas à entidade concentram mais de 45% do faturamento do setor.

Os remédios isentos de prescrição médica (MIPs/OTCs) foram os principais responsáveis pelo resultado. Com faturamento superior a R$ 3,5 bilhões, essa categoria teve um avanço de 15,42% e representou 16% das vendas totais. “Cerca de 60% dos pacientes recorrem a esses medicamentos sob orientação farmacêutica para gerenciar os sintomas do dia a dia. Os consumidores estão se tornando mais proativos em relação ao autocuidado com a saúde”, avalia Sergio Mena Barreto, presidente executivo da Abrafarma.

Barreto também credita o resultado aos investimentos realizados em inovação e vendas, além de infraestrutura logística para evitar a ruptura nas gôndolas. “A abertura de novas lojas, especialmente em pequenas cidades com até 50 mil habitantes, também contribuiu para o aumento do faturamento”, acrescenta.

O balanço ainda apontou que o comércio geral de medicamentos totalizou R$ 15,64 bilhões, um aumento de 8,08% em relação aos seis primeiros meses do ano passado. No primeiro semestre, o segmento de genéricos movimentou R$ 2,63 bilhões, um crescimento de 4,67% sobre o primeiro semestre de 2017. Ao todo, foram vendidas mais de 169 milhões de unidades.

A venda dos não medicamentos (itens de higiene, cosméticos, perfumaria e conveniência) contabilizou R$ 7,13 bilhões, o que representou um acréscimo de 6,37%. O número de lojas aumentou 9,29%, passando de 6.533 para 7.140 unidades. Já o número de contratações subiu 7,46% – de 114.154 para 122.673 funcionários e colaboradores. Mais de 22 mil desses profissionais são farmacêuticos.

Perfil — Fundada em 1991, a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) reúne as 24 maiores redes de farmácias do país, que contam com mais de 7,1 mil lojas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. As redes associadas representam cerca 45% das vendas de medicamentos no país, tendo realizado mais de 443 milhões de atendimentos no primeiro semestre de 2018, com vendas totais de R$ 22,78 bilhões. A associação tem como objetivo o aprimoramento das empresas filiadas, a preservação da imagem institucional, o relacionamento com entidades públicas, governo e fornecedores, além de apoio jurídico e pesquisa de mercado para o aperfeiçoamento das atividades. |www.abrafarma.com.br

Fonte: Panorama Farmacêutico


Compartilhe


Comentários