A importância da vacinação contra a gripe em tempos de Covid-19



Com a ameaça do coronavírus, a imunização contra a gripe se tornou mais importante, pois a vacina deixa o sistema imunológico 80% protegido contra cepas do vírus influenza, milhares de vezes mais comuns que o coronavírus.

 

A vacina influenza não protege e nem aumenta a resistência para a infecção por qualquer tipo de coronavírus, então por que devemos nos vacinar contra a gripe no meio de uma pandemia? Em tempos de uma crise pandêmica, a prevenção contra a gripe não só diminui a incidência de casos de Influenza, como também facilita no diagnóstico preciso para o Coronavírus. Existem outros motivos muito importantes para incentivar a vacinação contra a gripe, como:

 

  • Para prevenir da gripe e das complicações decorrentes do adoecimento, como o comprometimento das vias respiratórias, internações e até mesmo a morte nos casos mais graves.

 

  • Para evitar a necessidade de atendimento médico e a maior sobrecarga dos serviços de saúde.

 

  • Para facilitar a definição de diagnóstico entre COVID-19 e gripe, já que os sintomas iniciais das duas doenças são praticamente os mesmos.

 

  • Para possibilitar aos profissionais da saúde estabelecerem mais rapidamente o acompanhamento adequado do paciente.

 

Caso seja a vez de receber a vacina Covid-19, deve ser dada preferência a ela. Para a resguardar a população de doenças que possam impactar o sistema imunológico, a vacinação é essencial para blindar o organismo contra agentes infecciosos e bacterianos. Infelizmente, o aumento dos movimentos de anti-vacinação e a proliferação das fake news nos últimos anos tem atrapalhado a vacinação no Brasil. Dentro deste cenário, cabe ao profissional de saúde conscientizar e educar o pacientes e clientes no dia a dia para a importância da imunização (Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações – SBIm).

 

Em relação à vacina contra a gripe, uma das mais seguras e eficientes no quesito da prevenção, estudos demonstram que a ela reduz entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da doença.

Câmaras científicas para conservação de vacinas: a nova realidade em farmácias

Se em sua farmácia as vacinas ainda são guardadas em geladeiras domésticas, você precisa urgentemente se adequar à RDC 197/2017. Geladeiras comuns estão proibidas para este fim, pois não provêm temperatura homogênea, precisa e estável na faixa entre 2°C e 8°C. Há também potencial risco de congelamento, instabilidade energética e outros problemas que comprometem a eficácia das vacinas.

 

Para se adequar, sua farmácia deve utilizar câmaras científicas regularizadas pelo Ministério da Saúde/ANIVSA. A tecnologia inteligente de conservação Biotecno é a forma garantida de regularizar o armazenamento de vacinas perante a legislação. Um equipamento da marca foi utilizado para conservar a primeira vacina contra o coronavírus aplicada no Brasil e associados Sincofarma/SP podem adquirir as câmaras diretamente com o fabricante com benefícios como frete grátis, instalação, treinamento e adesivos personalizados da sua farmácia.

Fonte: Biotecno


Compartilhe


Comentários