A primeira vacina do mundo



Vamos voltar ao ano de 1803 para contar como a ação de vacinas foi iniciada e como algumas crianças espanholas salvaram a vida de nada menos que 250.000 pessoas no Novo Mundo!! Eram crianças ‘vacinadas’. Em 30 de novembro daquele ano um navio partiu da Espanha levando 22 crianças, pequenas, algumas daquelas com apenas 3 anos de idade, viajaram como ‘vacinas com pernas’ para o México. Nos séculos XVIII e início do século XIX, a varíola dizimou cidades inteiras na Espanha. Matou dezenas de milhares de pessoas e, na sua versão “menos agressiva, causou cegueira e deixou marcas no rosto para toda vida.

A revolução foi a descoberta de como imunizar as pessoas contra o contágio

Essas crianças eram o meio de transporte: elas eram portadoras de maneira controlada da vacina contra o vírus da varíola. Eles usaram catapora, não a forma humana, para imunizá-los. A descoberta foi feita com um médico inglês (Dr. Jenner) que observou que os ordenhadores de vacas contraíam varíola, mas nunca como as contraídas pelos humanos. Naquela época se sofria da doença de vaca (daí a palavra vacina). O Dr. Edward Jenner concluiu que uma vez infectado pela “doença da vaca” assim seria desenvolvido dentro do sistema imunológico humano uma defesa contra a varíola. É a primeira vacina na história. Eles infectaram humanos com doenças de vaca para passarem essa pequena doença e depois ficarem imunes à outra “que te matava”.

A história da imunização é uma história de sucesso

As vacinas, que representam apenas 0,5% do orçamento da saúde a nível europeu, salvam todos os anos entre 2 e 3 milhões de vidas no mundo, prevenindo mais de trinta doenças. Exceto pelo acesso à água potável, é difícil encontrar outra intervenção humana que, ao longo da história, tenha trazido benefício maior em termos de saúde e qualidade de vida. No entanto, ainda há muito que melhorar.

Existem quase 20 milhões de crianças que ainda não conseguem se vacinar. O ressurgimento do sarampo está vinculado as baixas taxas de imunização, uma doença que deveria ter sido erradicada em nossa região no ano 2000. Dezenas de milhares de casos foram registrados nos últimos três anos na região mais rica do planeta. Trinta países europeus, devido a deficiências na cobertura da vacina estão sofrendo as consequências.

O movimento anti vacinas é inaceitável no século XXI, especialmente considerando que temos vacinas eficazes para mais de 30 tipos de doenças.

Mas não é apenas necessário trabalhar para melhorar as taxas de cobertura das vacinas conhecidas, mas é essencial avançar oferecer o correto armazenamento. Mas esse é um assunto que ficará para o próximo artigo!!!

 

Por Roberto Olivares

Fonte: Biotecno Refrigeração Médica

Publicado em 22 de outubro de 2019


Compartilhe


Comentários