Acordo de coleta de medicamentos é feito entre setor farmacêutico e órgãos de SP



Trato foi feito na última terça-feira, dia 16 de fevereiro, e aborda o recolhimento e descarte de medicamentos vencidos.

 

Segundo informações da Folha de São Paulo, o Ministério Público de SP, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente de SP e a Cetesb (Companhia Ambiental de SP) acordaram junto à associações representantes da indústria, distribuição e redes farmacêuticas, ontem, dia 16 de fevereiro, sobre recolher e descartar medicamentos vencidos e sem uso.

As farmácias então devem fornecer receptores para a população fazer o devido descarte dos remédios vencidos e de embalagens. As importadoras e fabricantes, por sua vez, são responsáveis pelo transporte até o tratamento e descarte final. A destinação difere conforme o tipo de medicamento e pode chegar à incineração.

Os custos de transporte e descarte consideram a participação no varejo e são divididas proporcionalmente entre fabricantes e importadoras. As redes do varejo devem criar um sistema informatizado para registro e divulgação sobre a quantidade de coleta.

É previsto que cada empresa crie um ponto de coleta para cada 10 mil pessoas. O acordo abrange a capital e mais de 40 municípios no estado de SP, o que totaliza mais de 200 mil habitantes. Os 2.852 pontos devem estar implementados até o fim de setembro. Em vigor até 31 de dezembro de 2022, o acordo pode ser prorrogado. A partir de março, Os pontos de coleta já devem estar disponibilizados à população.

 

Placa Informativa sobre a Logística Reversa de Medicamentos

Até o momento, as farmácias e drogarias podem disponibilizar da placa informativa, oferecida para download gratuitamente em nosso site, sobre o decreto federal de 2010, regulamentado no ano passado, da logística reversa de medicamentos.

Faça o download gratuito aqui e acesse nosso site para mais placas informativas, disponibilizada gratuitamente em nosso site!

 

Fonte: Comunicação Sincofarma/SP


Compartilhe


Comentários