Aumenta em 180% a procura por mips, aponta pesquisa



Levantamento realizado pelo Conselho Federal de Farmácia indica crescimento das vendas dos medicamentos isentos de prescrição.

Recente pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia – CFF retratou um acréscimo de 180% na procura pela compra de medicamentos que não necessitam de receita médica para comércio. A alta se deve à pandemia global do novo coronavírus, Covid-19.

Entre os medicamentos que indicaram alta na demanda estão o paracetamol, com crescimento de 80% e as vitaminas C, que aumentou 35% suas vendas. Dentro disso, é indicado aos farmacêuticos que analisem bem as orientações fornecidas aos clientes, no momento da venda.

O risco da automedicação

Segundo entrevista publicada no portal do ICTQ, pelo farmacêutico Eliseu Rabelo, é necessário um grande cuidado com a automedicação, pois ela apresenta muitos riscos. Devido à isso, é uma grande responsabilidade da classe farmacêutica o momento da prescrição e orientação aos seus pacientes. “A automedicação tem seus riscos, que podem incluir, por exemplo, um autodiagnóstico incorreto, uma interação medicamentosa ou com alimentos. O paciente pode ter reações adversas, devido aos efeitos colaterais. Além disso, a automedicação pode mascarar uma patologia”, ele informa.

Ele reitera o papel do farmacêutico como protagonista na saúde dos pacientes: “Nós, que somos farmacêuticos, somos os profissionais habilitados dentro da farmácia para passar a informação correta ao paciente sobre o uso racional desses medicamentos”, lembra. Também pelo mesmo canal de comunicação, o gestor de saúde da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica do Estado de São Paulo, Victor Hugo Costa Travassos da Rosa, também alerta sobre a automedicação: “É uma prática que pode levar até a morte. Consumir um medicamento sem orientação médica ou farmacêutica é uma atitude perigosa. A pessoa deve sempre procurar se informar com médicos ou farmacêuticos”.

Pesquisa feita pelo ICTQ em 2020, indicou que 81% da população consome medicamentos por conta própria. E outro levantamento pelo CFF indica que pelo menos 77% dos brasileiros já fizeram uso da automedicação.

 

Fonte: Comunicação Sincofarma/SP


Compartilhe


Comentários