Brasil recebe mais de 16 milhões de doses de vacinas



Para dar seguimento a campanha nacional de vacinação contra a Covid-19, o Ministério da Saúde recebeu mais de 16 milhões de doses de imunizantes de diferentes laboratórios fabricantes.

 

As doses já começaram a ser distribuídas aos estados e Distrito Federal. De 25 a 31 de julho, a pasta recebeu 1,9 milhão de doses da AstraZeneca pelo consórcio Covax Facility; 4,2 milhões da Coronavac, produzidas pelo Instituto Butantan; 5,8 milhões da Pfizer e 2,2 milhões da AstraZeneca, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Essas doses já começaram a ser distribuídas a estados e Distrito Federal. No domingo (1º) foram mais de 2 milhões de doses vacinas Covid-19 da Pfizer/BioNTech que chegaram ao aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), em dois lotes distintos, cada um com 1.053.000 doses.

 

O Brasil fechou a semana com marcos importantes na campanha de vacinação contra Covid-19. Mais de 40 milhões de brasileiros completaram a vacinação com as duas doses ou a vacina de dose única, que o representa mais de 25% da população acima de 18 anos. A primeira dose da vacina já chegou para mais de 61% do público-alvo, que conta com mais de 160 milhões de brasileiros. Até o início de agosto, são mais de 184 milhões de doses enviadas aos estados e DF, dos quais 86,5 milhões são AstraZeneca/Oxford/Fiocruz; 69,5 milhões da Coronavac; 23,6 milhões da Pfizer e 4,7 milhões da Janssen (Fonte: Portal Gov.br).

 

A importância da conservação

 O fator essencial para o sucesso da imunização é o armazenamento correto das vacinas, que precisam ser mantidas dentro da faixa de temperatura preconizada pelo fabricante, em sua maioria entre 2°C e 8°C. Nesse quesito, o desafio do Brasil é ainda maior, pois nem todos os municípios estão supridos por câmaras científicas específicas para a guarda de vacinas – equipamento exigido pela própria legislação. A RDC 197/2017 proíbe o uso de geladeiras comuns para a guarda de vacinas.

Nas câmaras científicas para vacinas, há recursos e tecnologias que garantem a faixa de temperatura entre 2°C e 8°C, além de alertar e contornar eventuais intercorrências. Outro aspecto importante nos equipamentos específicos para a guarda de vacinas é a presença do Sistema de Emergência, um backup de energia que mantém a câmara refrigerando em caso de falta de energia elétrica na rede comercial. É importante que profissionais da saúde e a própria população estejam atentos a esse aspecto, exigindo que as vacinas sejam conservadas sempre em equipamentos científicos que preservam as propriedades imunizantes das doses.

Fonte: Biotecno

Publicado em 3 de agosto de 2021


Compartilhe


Comentários