CFF adere à declaração conjunta pela segurança do paciente



O próximo dia 17 de setembro será marcado pela celebração do Dia Mundial da Segurança do Paciente. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde para alertar para a necessidade de intensificar esforços para promover cuidados à saúde seguros. A celebração ganhou importância ainda maior neste ano diante da emergência sanitária da pandemia da Covid-19. Com o tema “Segurança do trabalhador da saúde: uma prioridade para a segurança do paciente”, a ideia é mobilizar a sociedade em torno da questão.

No Brasil, a ação é conduzida pela Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (SOBRASP) – e recebeu a adesão do Conselho Federal de Farmácia (CFF) e de outras entidades e organizações da saúde. O presidente da SOBRASP, Victor Grabois, destacou a importância da participação dessas entidades, já que os trabalhadores da saúde são os maiores afetados por estarem na linha de frente no combate à Covid-19. “A segurança do paciente está diretamente ligada ao trabalho multiprofissional de saúde, do qual o farmacêutico é um elemento-chave para o cuidado efetivo e seguro”, afirmou Victor. “Questões importantes, como se a medicação está fazendo efeito, se a dose é correta e se as mãos estão sendo higienizadas nos momentos preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estão diretamente ligadas à segurança do paciente. É muito importante que o profissional da saúde esteja cuidado, acolhido e estimulado, já que assim, executará seu trabalho com mais segurança e, com isso, reduzirá a ocorrência de eventos adversos”, destacou o presidente da SOBRASP, em entrevista ao CFF.

Os trabalhadores da saúde estão entre os principais infectados pelo novo coronavírus. O presidente da Sobrasp atribui como complicador o nível de pressão sofrido por esses profissionais, o que pode contribuir para descuidos em relação à própria segurança.“Procedimentos simples e rotineiros ganharam nível de importância e necessidade de atenção redobrada. Esses elementos podem provocar fadiga, perda do foco e desatenção, ocasionando um impacto direto na segurança do paciente. Não se trata apenas da transmissão intrahospitalar e no âmbito do serviço de saúde, mas também sobre as condições em que o profissional da saúde exerce o seu trabalho de cuidado e de atenção ao paciente”.

No total, 32 entidades da área da saúde, que representam milhões de profissionais, assinaram a Declaração Conjunta pelo Dia Mundial da Segurança do Paciente. A ação ocorre pelo mundo todo. No Brasil, a ideia é que no dia 17 de setembro monumentos públicos e hospitais sejam iluminados. A sede do CFF, em Brasília, já providenciou sua iluminação. Os organizadores também incentivam o uso de acessórios de cor laranja, como camisetas, máscaras, e que as pessoas façam vídeos curtos em homenagem aos profissionais da saúde. Victor Grabois ressaltou a importância da adesão do CFF na campanha. “A presença do Conselho Federal de Farmácia é fundamental porque, além da representatividade da entidade em todo o Brasil, o órgão representa os farmacêuticos brasileiros, membros essenciais na equipe multiprofissional de saúde. O direcionamento adequado da equipe da Farmácia, não só do farmacêutico, mas também os técnicos, garantindo processos educativos, oferta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, suporte e valorização são fundamentais para a

SOBRASP convida farmacêuticos para se associarem à entidade que é multiprofissional. Para mais informações acesse o site da sociedade no endereço: www.sobrasp.org.br

 

Fonte: CFF


Compartilhe


Comentários