Como orientar os clientes para uso dos óleos essenciais: tema da crônica de Liliane Barros



Indicado também como uma excelente alternativa para o alívio de vários sintomas mentais e físicos.

 

No nosso dia-a-dia na farmácia é importante oferecermos opções aos nossos clientes, assim precisamos nos aprofundar um pouco entre tantas possibilidades.

As pessoas escolhem o que produz melhor resultado e o que decidem trazer para sua vida como opção de tratamento. Assim, podemos atender alopatia, homeopatia, fitoterápicos e terapias florais.

Na farmácia atendemos o que o cliente necessita, portanto devemos saber do que estamos falando para poder ajudar e esclarecer as dúvidas.

Assim atendemos a todos nas suas escolhas!

 

A população busca alternativas para obter uma melhor qualidade de vida, e os óleos essenciais são uma delas. Vemos este universo crescente pela oferta de óleos essenciais que temos no mercado.

 

Os óleos essenciais trazem alívio para vários sintomas mentais e físicos.

 

As vias de absorção são pelo olfato e pele.

O sistema límbico responde pelas emoções e pela coordenação dos odores, entre muitas outras coisas. As moléculas odoríferas são percebidas nas fossas nasais pelas células nervosas e na pele as moléculas dos óleos (usando carreadores), são bem pequenas e são absorvidas por folículos pilosos, glândulas sudoríparas e sebáceas.

Vários são os métodos para a utilização: inalação, massagem, utilizando difusor no ambiente, travesseiro aromático, escalda pés e banhos.

Vamos falar de três óleos essências que gosto muito e utilizo em associação aos florais para potencializar os efeitos. Podemos utilizar várias práticas em conjunto, visando a busca de equilíbrio físico, emocional e mental.

 

Então vamos lá!!!

 

Começaremos com o óleo essencial de Alecrim (Rosmarinus officinalis).

Tem como indicação terapêutica para fadiga mental, depressão, desânimo, dores musculares e cansaço físico e o modo de usar é por banhos, escalda-pés, massagens e uso de travesseiro aromático. Pode utilizar em associação com hortelã-pimenta, limão e bergamota.

Dica: por conter como um dos constituintes químicos a cânfora, não utilizar se estiver fazendo uso de homeopatia.

O Hortelã-pimenta (Mentha piperita) pode ser utilizado para gripe, dor de cabeça, sinusite, fadiga, como estimulante e ajuda na concentração de crianças.

Dica: neste caso é bem interessante utilizar com Clematis (Floral de Bach), que é o floral para os sonhadores e os que ficam divagando. Ajuda para a concentração.

Aqui é um exemplo de como podemos associar as terapias.

Como usar: travesseiro aromático, banho, escalda-pés, spray para ambiente e massagem.

E chegamos na Lavanda (Lavandula officinalis)!!!

Hoje bastante utilizada para saúde mental, para sintomas como ansiedade, distúrbios de sono, ansiedade, sensação de pânico, medo do escuro e dores de cabeça.

Dica: podemos associar a Lavanda com o Mimulus na terapia floral. O Mimulus é indicado para medo específicos, assim poderíamos utilizar o floral e um travesseiro aromático para medo de escuro.

Como usar: travesseiro aromático, banho, escalda-pés, spray para ambiente e massagem.

 

Hoje compartilho um pouco deste conhecimento maravilhoso que são os dos óleos essenciais.

Fico por aqui!

Até a próxima semana com mais dicas magistrais!!!

Gratidão!


 

LILIANE BARROS é Consultora especialista também em veterinária:

WhatsApp: (11) 98269-8491
• Consultório – Rua: Barata Ribeiro, 380 – cj 26
Cerqueira César – São Paulo
Atendimento de terapias integrativas e complementares – Reiki, Florais, Meditação e Fitoterapia.

• Consultoria Técnica Magistral.
Instagram: @profa_liliane_barros
e-mail: lilianeabarros@gmail.com
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/liliane-almeida-barros-05118934

 

 

Fonte: Comunicação Sincofarma/SP


Compartilhe


Comentários