Conselho Federal de Farmácia emite nota técnica que apoia a autonomia do farmacêutico



Termo de orientação pretende proteger a autoridade técnica do profissional.

 

O CFF – Conselho Federal de Farmácia, recentemente lançou conteúdo voltado à ciência e responsabilidade do farmacêutico, devido à medicamentos estarem sendo receitado para outros tratamentos, diferentes da bula dos mesmos. Ultimamente, a causa tem sido o novo coronavírus, Covid-19.

Juan Ligos, farmacêutico e coordenador do departamento de assuntos regulatórios do Sincofarma/SP, explica que, ultimamente, a causa tem sido o novo coronavírus, Covid-19. “Alguns medicamentos estão sendo receitados para tratar um problema de saúde, no caso deste momento para o coronavírus, diferente da bula e para o qual foi registrado na Anvisa, sendo uma dispensação de medicamentos com indicação de uso não aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, para o tratamento de Covid-19 e também de outras doenças. É o caso de alguns exemplos, como a cloroquina, dexametazona e ivermectina”, ele fala.

Dentro dessas situações, o CFF respalda o farmacêutico, em sua nota técnica, para o mesmo ter a liberdade no momento da dispensação dos medicamentos. “Assim, como o farmacêutico sabe que o medicamento não está sendo prescrito para a indicação da bula, o CFF publicou este termo de respaldo ao ato farmacêutico, que apoia a autonomia e a autoridade técnica do farmacêutico no ato da dispensação de medicamentos, especialmente aqueles de uso off label, em defesa da saúde e do bem-estar do paciente”, Juan informa. “O conselho criou, ainda, um canal para notificação de outros casos de cerceamento da autoridade técnica do farmacêutico”, finaliza o farmacêutico.

Veja na íntegra a nota técnica do CFF que respalda o ato farmacêutico

 

Fonte: Comunicação Sincofarma


Compartilhe


Comentários