Curso de farmácia é o que mais emprega na pandemia



Mesmo com 13% de desempregados, segundo o IBGE, o setor de drogarias mantém um saldo positivo em contratações.

 

No dia 5 de setembro foi comemorado o dia do Oficial de Farmácia, em homenagem ao primeiro encontro do setor aqui no Brasil em 1953. De lá pra cá o setor farmacêutico cresceu e tomou proporções gigantescas. Mesmo na crise causada pelo vírus do Covid-19, o setor registrou um crescimento de 7,74% nas vendas no primeiro semestre de 2020, em comparação ao ano passado, de acordo com um estudo da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP) apresentado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

Mesmo o Brasil apresentando um registro de 13% de desempregados, de acordo com o IBGE (Instituto de Geografia e Estatística), o setor de drogarias mantém um saldo positivo em contratações. O percentual é de 0,68% a mais que em 2019, no número de contratações. São 130.317 funcionários atuando nas drogarias, contra os 129.432 empregados no setor, no mesmo período do ano passado.

O crescimento, mesmo que modesto, refletiu também na procura por cursos e especializações em farmácia. O CEBRAC (Centro Brasileiro de Cursos) registrou um aumento de 18,6% na procura do curso profissionalizante de farmácia. “Antes da pandemia ele representava 25,33% das vendas e agora 30,03%, e tornou-se o curso que mais vendemos durante o isolamento social”, diz Rogério Silva, diretor da rede de cursos profissionalizantes.

 

Fonte: Guia da Farmácia


Compartilhe


Comentários