Desindustrialização chega também no setor farmacêutico



A redução das atividades industriais em nosso país alcançou o seguimento farma e Roche já havia decidido encerrar produção no Brasil.

 

A recente saída de multinacionais do Brasil é considerada uma segunda onda de desindustrialização. O processo de mudança, começou na recessão anterior, em 2014.

Além da Ford, Mercedes-Benz e Sony, também o grupo farmacêutico Roche afirmou que encerrará totalmente a produção de medicamentos no Brasil até 2024.

Em 5 anos – 2015 e 2020- o Brasil perdeu 36,6 mil estabelecimentos industriais, conforme levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), isso equivale a 17 estabelecimentos industriais encerrados por dia.

 

Em 2020 mais de 5mil 

Apenas no ano passado, 5,5 mil fábricas encerraram suas atividades. Segundo a série histórica iniciada em 2002, até 2014, o número de fábricas crescia, mesmo com a indústria de transformação perdendo relevância na economia diante do avanço de outros setores.

Há seis anos, o País tinha 384,7 mil estabelecimentos industriais. Mas, no fim do ano passado, a estimativa era de que o número tinha caído para 348,1 mil.

 

Setor Farmacêutico de quase 1 década deixa o País

Em 2019, a suíça Roche anunciou que, até 2024, deixará de produzir medicamentos no Brasil. Depois de quase 90 anos no País, a empresa decide fechar as portas de sua única fábrica, instalada em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, e passará a importar os medicamentos que vende.

Cinco anos atrás, o laboratório celebrava um aporte de R$ 300 milhões destinado à modernização das instalações e agora seu encerramento. Esse processo é reflexo sobretudo de um ambiente adverso de negócios para a indústria.

 

Possibilidade

Nesse momento somente incentivos fiscais parecem não atrair mais as indústrias, seriam necessárias reformas tributárias, investimentos em energia e infraestrutura para exportações.

 


Quer saber como a desindustrialização pode afetar sua empresa?

Continue acompanhando as nossas notícias e qualquer dúvida entre em contato com nosso setor jurídico

Setor jurídico: juridico@sincofarma.org.br

Fonte: ICTQ


Compartilhe


Comentários