Doenças de pele em idosos



Gustavo Alves traz nessa crônica como a doença de pele em idosos é maior e mais preocupante tendo em vista características do próprio envelhecimento, como ressecamento da pele, a presença de rugas, flacidez, dentre outras.

 

As doenças da pele são consideradas as mais comuns em seres humanos, podendo atingir até 50% das pessoas em geral.

A Pele é o maior orgão do corpo humano e apresenta muitas funções importantes, dentre as quais podemos destacar: “servir de proteção mecânica contra agentes externos e microrganismos”. Nossa pele produz vitamina D, essencial para o metabolismo do Cálcio e manutenção da resistência óssea; também regula a temperatura do corpo por meio da produção do suor e atua como orgão sensorial.

Mas é muito importante considerar o fato de que a pele, com o passar dos anos, passa a exercer um papel social extremamente importante, pois ela também é responsável por transmitir uma imagem positiva a nosso respeito, uma boa impressão para as outras pessoas! Passa a ser importante o cuidado com os cabelos, unhas e pele, não somente pela questão estética, mas por existir uma conexão direta com o bem estar aliado à função psicossocial da pele, já que ela se relaciona com nosso sistema nervoso.

Queda de cabelos, unhas quebradiças e alguns tipos de lesões na pele podem ser explicadas por alguns tipos de desequilíbrio interior.

Em 2006 a Sociedade Brasileira de Dermatologia realizou um estudo amplo que identificou as principais doenças de pele em idosos. São elas:

  • Tumores cutâneos
  • Micoses superficiais
  • Ressecamento/espessamento da pele
  • Manchas (queratose solar actínica ou senil)
  • Psoríase
  • Alergias

 

Existem alguns cuidados e medidas que contribuem para a “saúde” da pele em pessoas idosas:

  • Tome água com frequência! (caso tenha problema renal, oriente-se com seu médico)
  • Evite banhos quentes e demorados
  • Use sabonetes neutros.
  • Use hidratantes no corpo todo
  • Cuidado com a exposição desprotegida ao Sol, sem cuidados, apenas como justificativa para a proteção de vitamina D. Sim, precisamos do Sol, mas com precaução e sem exageros!
  • Use protetores solares com FPS acima de 30!
  • Evite exposição direta ao sol entre 10 horas da manhã e 3 horas da tarde.
  • Evite micoses: lave diariamente os pés com sabonete, esfregando as áreas entre os dedos, em seguida, seque bem!
  • Evite sapatos apertados ou sandálias que comprimam os dedos.
  • Se tiver feridas nos pés e elas demorarem a cicatrizar, pode ser diabetes, procure um médico!

 

Lembre-se também que a possibilidade de desenvolvimento de câncer de pele aumenta conforme a idade, sendo assim todos os idosos devem realizar periodicamente (uma vez ao ano) um exame completo da pele com um médico dermatologista. Existe também o autoexame, uma forma de auto cuidado que todos nós podemos adotar. Caso o idoso perceba lesões ou pintas com cores, tamanhos e formatos incomuns, deve imediatamente procurar um médico.

Na dúvida sobre medicamentos, procure sempre um farmacêutico.

 


 

Gustavo Alves Andrade dos Santos

Farmacêutico, Doutor em Biotecnologia
Coordenador do grupo de Cuidado farmacêutico ao Idoso do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.

Twitter: @gustavofarmacia
Instagram: @gusfarma
Email: gusfarma@hotmail.com

Fonte: Sincofarma

Publicado em 13 de outubro de 2021


Compartilhe


Comentários