Serviços
Benefícios
Agenda de Cursos
Balcão de Talentos
Meu Cadastro

Intenção de consumo das famílias sobe novamente em dezembro, aponta FecomercioSP



Segundo a Entidade, indicador avançou 6,2% em relação a outubro e 11,4% no comparativo anual.

 

O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) voltou a subir, alta de 6,2% na comparação mensal, passando de 89,3 pontos em novembro para 94,8 pontos em dezembro. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um avanço de 11,4%, quando o índice marcava 85,1 pontos.

O ICF é apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e varia de zero a 200 pontos, sendo que abaixo de 100 pontos significa insatisfação, e acima de 100, satisfação em relação às condições de consumo.

Todos os sete itens analisados obtiveram aumento em dezembro, com destaque para Momento para duráveis, que registrou a maior elevação (20,2%), passando de 58,4 pontos em novembro para 70,2 pontos em dezembro. A assessoria econômica da Entidade lembra que, mesmo com o bom resultado, o índice ainda está abaixo dos 100 pontos, ou seja, no grau de insatisfação. A Federação ressalta que o bom desempenho do item está relacionado à Black Friday, quando houve a oportunidade de compra de produtos como televisores, aparelhos de sons e telefones celulares por preços promocionais. No mês, foram 32% dos que responderam ser um bom momento para adquirir esses tipos de bens, contra 26,5% do mês anterior e 29,6% do visto há um ano.

De acordo com a pesquisa, a segunda maior elevação foi do item Perspectiva de consumo, que, em dezembro, cresceu 8,9% na comparação anual e 15,1% em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo 100,9 pontos. Segundo a Entidade, o item retornou ao patamar de satisfação após 11 meses. Atualmente, são 34,9% dos paulistanos que consideram que, nos próximos meses, o consumo de sua família e da população em geral tende a crescer em relação ao ano anterior. Há um ano, esse porcentual era de 29,6%.

O item Nível de consumo atual registrou a pior avaliação do ICF no mês, passando de 60,4 pontos de novembro para 62,6 pontos em dezembro, alta de 3,6%. Conforme a pesquisa, os paulistanos ainda estão bastante insatisfeitos com o seu consumo, visto que 52,7% dizem que estão gastando menos do no mesmo período do ano anterior. Na comparação com dezembro de 2017, houve um recuo de 4,7 pontos porcentuais.

Segundo a FecomercioSP, os aumentos da intenção de consumo e de bens duráveis estão relacionados à melhora da renda e do crédito. O item Renda atual voltou ao patamar de satisfação, ao atingir 101 pontos, alta mensal de 3,2%. Contudo, foi o momento de recebimento da parcela do décimo terceiro salário.

O item Acesso a crédito passou dos 88,2 pontos em novembro para 91,3 pontos em dezembro, elevação de 3,5%. Houve redução da insatisfação, pois 39,8% responderam que está mais difícil a contração de empréstimo para compras a prazo – 4,9 pontos porcentuais abaixo do registrado em dezembro de 2017.

Outro destaque foi o item Perspectiva profissional, que registrou aumento de 4,7% e atingiu os 123,1 pontos, sendo o item com melhor avaliação do ICF no mês. De acordo com a Federação, esta é a maior pontuação desde abril de 2014, quando o item registrou 127,5 pontos. Foram 57,5% dos entrevistados que responderam que acham que o responsável pelo domicilio terá alguma melhoria profissional nos próximos seis meses, 6,8 pontos porcentuais a mais do que há um ano.

Os paulistanos também estão se sentindo mais seguros nos seus empregos. O item Emprego atual subiu de 110 pontos em novembro para 114,6 pontos em dezembro, altas mensal de 4,2% e anual de 9,9%. Foram 35,2% dos entrevistados que responderam estar mais seguros nos seus atuais cargos em comparação ao mesmo período do ano passado. Há um ano o percentual foi de 30,6%.

Faixa de renda

Na análise por faixa de renda, houve crescimento em ambos os grupos, com destaque para renda superior a dez salários mínimos (SM), alta de 8,3%, passando de 95,2 pontos em novembro para 103,1 pontos em dezembro. Já no grupo com renda abaixo dos dez SM, a alta foi de 5,4%, ao passar de 87,3 pontos em novembro para 92 pontos em dezembro. Contudo, quem mais evoluiu na comparação anual foi o grupo com renda mais baixa, 12,2% contra 9,5%.

A FecomercioSP avalia que o resultado de dezembro está atrelado à Black Friday e, ao mesmo tempo, à pós-eleição, no qual os consumidores conseguiram ter um pouco mais de clareza do que deve acontecer no próximo ano. Assim, os itens que mais avançaram em dezembro foram os ligados às expectativas, a maioria no patamar de satisfação, acima de 100 pontos. A última vez que isso ocorreu foi em janeiro de 2018.

Segundo a Federação, mesmo estando no patamar de insatisfação, o crescimento anual de 11,4% na intenção de consumo é suficiente para gerar otimismo no varejo com crescimento nas vendas, principalmente no Natal e nas liquidações de início de ano. Então, a tendência é positiva para os próximos meses com mais as oportunidades de compras no início de ano e perspectivas de melhora da economia.

Metodologia

O Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde janeiro de 2010, com dados de 2,2 mil consumidores no município de São Paulo. O ICF é composto por sete itens: Emprego atual; perspectiva profissional; Renda atual; Acesso ao crédito; Nível de consumo atual; Perspectiva de consumo; e Momento para duráveis. O índice vai de zero a 200 pontos, no qual abaixo de 100 pontos é considerado insatisfatório e acima de 100 pontos é denotado como satisfatório. O objetivo da pesquisa é ser um indicador antecedente de vendas do comércio, tornando possível, a partir do ponto de vista dos consumidores e não por uso de modelos econométricos, ser uma ferramenta poderosa para o varejo, para os fabricantes, para as consultorias e para as instituições financeiras.

 

Fonte: Fecomercio SP


Compartilhe


Comentários