Ministério aprova dose de reforço para profissionais de saúde



Ministro Marcelo Queiroga anunciou que o reforço deve ser feito preferencialmente com a Pfizer, a partir de seis meses após a imunização completa.

 

Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (24) que aprovou a dose de reforço para médicos, enfermeiros e outros profissionais da área. O anúncio é uma ampliação do público, já que antes a aplicação da vacina era liberada pela pasta apenas para os idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos.

“Acabamos de aprovar a dose de reforço para profissionais de saúde, preferencialmente com a Pfizer, a partir de seis meses após a imunização completa”, escreveu o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em seu perfil no Twitter.

Queiroga está em quarentena em Nova York, onde teve um teste positivo para Covid-19 antes do que seria seu voo de retorno ao Brasil após acompanhar o presidente Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU.

Em agosto, quando anunciou que o reforço seria administrado, Queiroga chegou a anunciar que os médicos e demais profissionais da área estariam no público prioritário. Como a previsão não se confirmou, a categoria cobrava a inclusão.

A prefeitura de São Paulo relata que houve crescimento da contaminação desses trabalhadores, principalmente que atuam na linha de frente da pandemia e liberou a lista da xepa aos profissionais de saúde.

A vacinação com a dose de reforço para os dois primeiros públicos foi liberada pelo governo federal a partir de 15 de setembro.

Assim como os profissionais de saúde, podem tomar o reforço os idosos com mais de 70 anos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses. No caso das pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos), é preciso ter tomado a segunda dose há ao menos 28 dias.

 

Fonte: G1

Publicado em 27 de setembro de 2021


Compartilhe


Comentários