Nota técnica sobre pós-vacinação para COVID-19



O pós vacina tem tirado o sono de algumas pessoas, será que tem reação? e se tiver? vou ao hospital? Aguardo, por quanto tempo?

Agência divulga orientações para o monitoramento de eventos adversos pós-vacinação no âmbito das clínicas privadas.

 

Clínicas Privadas

Anvisa informa que acaba de publicar a Nota Técnica 49/2020, que traz as orientações para o monitoramento de eventos adversos pós-vacinação ocorridos com qualquer vacina no âmbito das clínicas privadas de vacinação.

O documento tem como objetivo reforçar a necessidade de notificação dos referidos eventos adversos. Além disso, a publicação orienta como as vigilâncias sanitárias locais devem proceder em cumprimento às determinações da legislação sanitária federal.

 

Principais Pontos

Na clínica deve existir um Núcleo de Segurança do Paciente (NSP),

Os EAPV (Eventos Adversos Pós Vacinação) devem ser notificados via ferramentas eletrônicas disponibilizadas pela ANVISA (VigiMed),

Notificar os EAPV mensalmente, até o 15º (décimo quinto) dia útil do mês,

Notificar os EAPV que evoluírem a óbito em até 72 horas,

 

Vigimed

Para mais informações e materiais de treinamento, basta entrar no Portal daAnvisa (http://antigo.anvisa.gov.br/vigimed).

Atenção

Por fim, é importante esclarecer que, até o momento, não há vacinas contra a Covid-19 registradas no Brasil (de uso emergencial ou de registro definitivo). Clique aqui e confira a íntegra da Nota Técnica 49/2020

Lembrar da Habilitação

O Sincofarma/SP em parceria com o  ICTQ ,  chancela o curso PROGRAMA DE FORMAÇÃO E HABILITAÇÃO DE FARMACÊUTICOS EM VACINAÇÃO,  que viabiliza os conhecimentos necessários para  implantar e executar os procedimentos de aplicação de vacinas em farmácias de acordo com a Resolução nº 654/2018 do CFF.

Próxima turma dias 11 e 12 de Fevereiro de 2021

Faça o seu cadastro:  INSCREVA-SE

LOCAL:
SÃO PAULO – Auditório Sincofarma/SP

ENDEREÇO:
R. Santa Isabel, 160 – 6º andar – Metrô República/Saída Largo do Arouche

APOIO:

             

 

 

Fonte: ANVISA


Compartilhe


Comentários