Como cuidar de um Idoso com Doença de Parkinson?



Trata-se de uma doença comum ao envelhecimento, porém, embora seja incomum, pode ocorrer em pessoas com menos de 50 anos.

 

Crônica de Gustavo Alves

 

No próximo dia 11 de abril, domingo, comemora-se o Dia Mundial da Doença de Parkinson. Estima-se que a Doença de Parkinson atinja 1 a 2% dos idosos em todo o mundo, um número bastante importante, tendo em vista o processo neurodegenerativo característico desta doença.

Um paciente com Parkinson sofre perda de neurônios dopaminérgicos, afetando diretamente a movimentação muscular. É importante lembrar que a Dopamina, substância envolvida na Doença de Parkinson, apresenta outras funções importantes no sistema nervoso central, mas seu déficit na região conhecida como “substância nigra” vai desencadear Parkinson.

 

SINTOMAS

Os idosos com Parkinson apresentam rigidez muscular, tremor de repouso, instabilidade postural; além disso terão uma caminhada (andar) bastante característico, conhecida como “marcha festinante” (passos curtos e cambaleantes), voz rouca e baixa, letras pequenas na escrita, ausência da movimentação dos músculos da face, além de outros sintomas.

Um idoso com esta doença pode evoluir para a Demência de Parkinson, estágio onde pode haver comprometimento da memória e alterações de comportamento.

 

TRATAMENTO

Mas existem tratamento farmacológicos (uso de medicamentos) e não farmacológicos que podem trazer grande alívio e significativa melhoria da qualidade de vida destas pessoas.

Ter Parkinson não significa que a vida acabou! Pelo contrário, a doença apresenta tratamentos com ótimos resultados e bom prognóstico.

O custo do tratamento é baixo e os medicamentos mais importantes, como a Levodopa, são distribuídos gratuitamente pelo SUS. Mas como dissemos anteriormente, além dos medicamentos existem outras estratégias importantes para preservar a qualidade de vida de idosos com Parkinson. Vejamos quais são:

  • Adaptar o espaço dentro de casa, facilitando a circulação interna. Mesmo que seja uma casa pequena ou um apartamento, cuidado com móveis pequenos, tapetes e objetos que dificultem a caminhada. Atenção para o risco de quedas em idosos com Parkinson!
  • Atenção com a higiene pessoal, pois os tremores podem prejudicar a sua execução. Neste caso um Cuidador, profissional ou familiar, é de suma importância no auxílio das tarefas comuns do dia-a-dia.
  • Movimentar-se! Evitar a atrofia muscular e reduzir os efeitos danosos da sarcopenia (perda de massa muscular). Se não puder praticar atividades físicas, tenha mobilidade física: pequenas caminhadas e alongamentos trazem ótimos resultados para o corpo e também para a Mente.
  • Lazer, leitura e interação: um idoso com Parkinson não pode ser isolado, esquecido. Ele precisa interagir com outras pessoas e esses momentos de convívio são essenciais. Ler, manter a atividade cerebral é também muito importante para estimular a cognição.
  • Alimentação: ter atenção especial com o tamanho dos alimentos ingeridos, pois idosos com Parkinson podem apresentar facilidade de engasgamento (disfagias), por outro lado cuidar para que o idoso com Parkinson se alimente e mantenha o equilíbrio nutricional já que idosos com Parkinson tendem a perder peso de forma preocupante.
  • Atenção Farmacêutica: A levodopa interage com proteínas contidas na alimentação, sendo assim seus efeitos podem ser reduzidos, pois há competição na porção intestinal pela absorção de Levodopa e proteínas, com ênfase para o aminoácido Tirosina. Recomenda-se não combinar o uso de levodopa com dietas altamente proteicas, ou se possível administrar o medicamento 1 hora antes ou 2 horas após as principais refeições.

 

Portanto a Levodopa deve ser administrada longe do horário em que houver a ingestão de alimentos ricos em Tirosina (produtos lácteos, carnes, peixes, ovos, nozes, feijão, aveia e trigo).



Gustavo Alves Andrade dos Santos

Farmacêutico, Doutor em Biotecnologia
Coordenador do grupo de Cuidado farmacêutico ao Idoso do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.
Twitter: @gustavofarmacia
Instagram: @gusfarma
Email: gusfarma@hotmail.com

 

 

Fonte: Comunicação Sincofarma


Compartilhe


Comentários