Plantas Medicinais e Fitoterápicos sem contraindicações pode ser prejudicial



Liliane Barros traz em sua coluna o alerta ao uso indiscriminado dos tratamentos chamados naturais. É preciso conhecer para utilizar.

 

Estamos falando dos cuidados com o uso: escolhas das espécies, partes da planta empregue, onde colhê-las, como preparar, enfim conhecimento do que iremos ingerir ou indicar. Estes cuidados são importantes para tomar um simples chá.

As plantas medicinais são aquelas que aliviam ou curam enfermidades e são utilizadas tradicionalmente pela população.

Para utilizá-las temos que conhecê-las.

Em primeiro lugar conhecer o gênero e espécie para não confundir e acabar por utilizar a planta errada. Muitas vezes ocorrem as intoxicações pela troca da planta.

Dica: Podemos confundir algumas plantas pelo nome popular, exemplo, Erva-Cidreira (Melissa officinalis) popularmente conhecida como Melissa e o Capim-Cidreira ou Capim Limão (Cymbopogon citratus). Gênero e espécies diferentes!

 

MELISSA

A Melissa utilizamos como calmante, para diminuir cólicas e gases, problemas estomacais e diminuir a pressão arterial.

 

CAPIM LIMÃO

Já o Capim Limão utilizamos para facilitar a digestão, tem ação anti-inflamatória, tem propriedades diuréticas, diminuindo inchaço.

As quantidades ingeridas também são importantes. O excesso pode fazer mal.

Lembro de uma ocasião em que o cliente informava que tinha muito sono no final do dia e a pressão arterial diminuía. Conversando, ele explicou que adorava um chá de Melissa e o tomava o dia inteiro durante o trabalho. Descobrimos o vilão! Lógico que o chá é uma delícia, mas não podemos abusar, pois estaremos ingerindo uma quantidade maior do que a indicada.

 

FITOTERÁPICO

O termo fitoterápico é utilizado quando a planta medicinal é industrializada e se obtêm um medicamento. O processo de industrialização padroniza a quantidade, a fórmula e forma farmacêutica específica e como será utilizada.

Os dois, planta medicinal e fitoterápico, tem a mesma função, mas quando tomamos o chá o efeito terapêutico é menor do que em uma cápsula, por exemplo.

 

CÁSCARA SAGRADA

A Cáscara Sagrada (Rhamnus purshiana) tem efeito laxativo, além de emenagoga, purgativa e colagoga. É importante saber que podemos utilizar fazendo um decocto (método de preparo do chá), em comprimido e cápsula (fitoterápico).

 

Cada planta e fitoterápico tem a sua quantidade específica para o preparo ou produção. Enquanto para o chá de Cáscara Sagrada utilizaremos 1 colher de sopa para 1 litro de água e a ingestão seria 1 a 2 xícaras, para a forma farmacêutica cápsula seria utilizado a planta em extrato seco em uma concentração de 100 a 500mg, duas vezes ao dia ou ao deitar.

O uso da fitoterapia é muito amplo. A importância de esclarecer os clientes é fundamental.

Fico por aqui!

Até a próxima semana com mais dicas magistrais!!!

Gratidão!

 


 

LILIANE BARROS é Consultora especialista também em veterinária:

WhatsApp: (11) 98269-8491
• Consultório – Rua: Barata Ribeiro, 380 – cj 26
Cerqueira César – São Paulo
Atendimento de terapias integrativas e complementares – Reiki, Florais, Meditação e Fitoterapia.

• Consultoria Técnica Magistral.
Instagram: @profa_liliane_barros
e-mail: lilianeabarros@gmail.com
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/liliane-almeida-barros-05118934


 

Fonte: Comunicação Sincofarma

Publicado em 15 de maio de 2021


Compartilhe


Comentários