Serviços
Benefícios
Agenda de Cursos
Balcão de Talentos
Meu Cadastro
Contribuições

Praticidade e Flexibilidade



Invista numa loja inteligente, com mobiliários e acessórios que te possibilitem vender mais, proporcionando flexibilidade e atributos que facilitem a correta exposição dos produtos. A estrutura da sua loja é engessada ou facilita a sua vida na hora de mudar o layout e trabalhar o GC (gerenciamento por categoria)?

——————————————————————————————————————————

Nossa dica de outubro trata do assunto que a gente mais gosta: loja inteligente que te possibilita vender mais.

Muita gente nos pergunta se realmente existe diferença entre um mobiliário desenvolvido para o varejo farma de outros mobiliários para qualquer tipo de varejo. “Gente, mas móvel não é tudo igual”? Eu mesma, antes de entrar nesse universo, tinha a convicção que gôndola é gôndola e ponto final, serve para expor produto do mesmo jeito, seja ela de madeira, aço, branca, preta, alta ou baixa… que o que realmente importava era a maneira de se trabalhar os produtos nela.

Pois bem, engano meu – e de muitos empresários do setor – que por falta de informação desconhece toda inteligência por trás dessa parte estrutural tão importante para o resultado da loja, os chamados “mobiliários conceituais”.

Surge aí outra inquietação: “o que é um mobiliário conceitual?”

Ao contrário do que muita gente pensa, mobiliário conceitual não se trata de um mobiliário desenvolvido para uma loja conceito de uma grande rede. O “conceitual” traduz a inteligência por trás de sua produção, capaz de fazer a loja vender mais.

(Confira aqui caso queira ir além e saber como nasce um produto conceitual na Metalfarma)

O mobiliário então é o responsável pelo sucesso da loja? Sozinho, NÃO! Estaríamos mentindo se disséssemos que sim, afinal o bom resultado de uma drogaria ou perfumaria se dá por um conjunto de fatores, incluindo, é claro, uma boa gestão.

Acontece que o combo layout + mobiliário não recebe o valor e cuidado que deveria, pelos donos das farmácias. Digo isso por ser um combo de caráter estrutural da loja; pense comigo: toda e qualquer ação estudada por uma boa gestão, como por exemplo a escolha do mix de produtos, o planograma, a exposição, as ações de promotoras, de negociação de espaço com as indústrias, de aumentar tíquete médio entre tantas outras, não surtirão o efeito esperado se gerenciadas nos pontos errados dentro da loja, ou seja, se não houver inteligência no gerenciamento por categoria, setorização e consequentemente no fluxo de compra, as ações podem até surtir efeito, porém não da mesma forma que surtiriam com o LAYOUT adequado. Da mesma forma que, ainda que com o layout correto, se o mobiliário engessar a loja, fazendo com que a mesma não seja interativa, pronto, também vai impactar no resultado.

Uma loja interativa é aquela que consegue ter seu layout alterado pela praticidade e adaptabilidade dos móveis e seus acessórios. Imagine que hoje sua categoria de “mãos e unhas” ou “cutelaria” esteja num ponto da loja e que amanhã, por alguma estratégia, esse ponto trabalhe outra categoria de produtos, como a de hidratantes corporais por exemplo; o tipo de produto exposto é diferente, as embalagens são diferentes. Os esmaltes são pequenos e as embalagens de seus acessórios, como alicates e lixas, são em blisters (aquela embalagem plástica com um furinho em cima para pendurar em ganchos); já os hidratantes têm embalagens maiores, necessitando de prateleiras com regulagem de altura para sua exposição.

Em uma loja com mobiliário engessado não seria possível contar com o novo layout de maneira prática, pois tirar a régua de ganchos e no lugar colocar as prateleiras, readaptando o layout à nova realidade, não seria uma possibilidade. A matéria prima do mobiliário, assim como seus acabamentos, medidas específicas (normas de ergonomia), e aspecto visual, incluindo principalmente sua iluminação e comunicação, são atributos que também fazem parte do termo “conceitual”.

Pense na sua loja e analise o quão prático ou engessado seria uma mudança de layout e de gerenciamento por categoria para você. Reflita se os pontos quentes (balcão de medicamentos, pontas de gôndola, checkout) dessa loja estão sendo trabalhados com inteligência, com MIPs fora do balcão, com fila inteligente no checkout, com os displays que facilitem a compra por impulso na lateral das pontas de gôndola… será que a sua loja está sendo 100% aproveitada? O potencial do seu ponto de venda está sendo extraído ao máximo?

Te convidamos a vivenciar nossa produção, tecnologia e inteligência in loco, visitando nosso showroom laboratório para entender mais sobre o que podemos fazer de diferente pela sua loja, na prática.

Costumamos dizer que as farmácias por si só já vendem, o varejo farma trata-se de um segmento que cresce além da média. Porém o nosso papel é transformar farmácias que vendem em farmácias que vendem MUITO  – esse é nosso objetivo diário – não se trata de produzir ou vender gôndolas, mas sim de entregar os subsídios necessários, com produtos e inteligência de projeto, para que a magia possa começar.

 

Por: Camila Dalmédico – Mestre em Direção de Marketing e Marketing Metalfarma

 

Fonte: Metalfarma


Compartilhe


Comentários