Quais as vacinas que os idosos devem tomar?



Gustavo Alves fala essa semana da importância da vacinação em todas as idades, mas queremos reforçar como as vacinas para idosos podem fazer a diferença em sua saúde.

 

Falar em vacinas em tempos de pandemia de Covid-19 é um tema recorrente, além de muito necessário. A necessidade de vacinação como forma de proteção, principalmente para os idosos, resgata a importância da imunização em todas as idades. Vacinas salvam vidas!

Infelizmente há algumas pessoas que duvidam das vacinas e pior, as condenam por achar que podem trazer malefícios. Um grande absurdo! Após o advento da vacinação, a humanidade se viu livre de grandes males, doenças e moléstias incuráveis, além do aumento da expectativa de vida em muitas situações.

Os idosos representam um grupo importante de pessoas que necessitam de vacinas, especificamente algumas.

  • Vacina contra o Influenza (gripe): o vírus Influenza pode causar sérios problemas respiratórios em idosos, além de febre, dores musculares, dores de cabeça e mal estar. A performance respiratória em idosos já não é 100%, com gripe então, fica muito ruim.

Idosos devem ser vacinados contra o Influenza; manter a vacinação em dia é fundamental para se proteger das mutações do vírus.

  • Tríplice bacteriana: é a vacina que protege contra a coqueluche, tétano e difteria, sendo recomendada para adultos e idosos. Para aqueles que já tomaram esta vacina, devem fazer um reforço a cada dez anos! Importante: esta vacina é feita com vírus inativado, portanto não tem como causar estas doenças.
  • Hepatite B: O SUS disponibiliza a vacina para os idosos. A hepatite pode trazer sérios danos aos idosos!
  • Pneumocócica: Esta vacina para os idosos é bem interessante pois previne alguns tipos de infecções comuns aos pneumococos, como as otites, pneumonia e até a meningite. Podemos incluir também a redução do risco de sepse, se causada por este agente. É válido lembra que pneumonia pneumocócica é a causa mais comum de internação e óbitos em idosos.
  • Febre amarela: Trata-se mais uma vacina oferecida pelo SUS, entretanto a recomendação para o idoso é a de vacinar somente em casos onde for correr risco, como estar em locais onde há surto da doença.
  • Herpes Zoster: popularmente conhecida como “cobreiro”, pode ocorrer em idosos por meio da reativação do vírus daqueles que tiveram catapora na infância. Em idosos ela será potencializada devido à queda da imunidade. É causada pelo herpes vírus humano do tipo 3 e causa muitas dores.
  • Vacinas contra Meningites (vacinas meningocócicas): indica-se para casos de surtos e viagens de risco, aplicada em dose única e não disponível gratuitamente. É para a meningite causada pela Neisseria meningitidis.
  • Tríplice viral: vacina usada na imunização contra o Sarampo, Rubéola e Caxumba; também indicada para situações onde exista surto das doenças e em situações onde o idoso não tenha recebido estas vacinas quando criança ou ainda na fase adulta.

A orientação sobre quais vacinas tomar e em que momento, é dada pelo médico clínico geral ou preferencialmente pelo Geriatra.

No Brasil, as farmácias também estão autorizadas a vacinar, sendo assim procure em sua região qual farmácia executa este serviço, e na dúvida consulte sempre o Farmacêutico!

 


Gustavo Alves Andrade dos Santos

Farmacêutico, Doutor em Biotecnologia
Coordenador do grupo de Cuidado farmacêutico ao Idoso do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.
Twitter: @gustavofarmacia
Instagram: @gusfarma
Email: gusfarma@hotmail.com

 

 

Fonte: Comunicação Sincofarma

Publicado em 25 de maio de 2021


Compartilhe


Comentários