Suplementos alimentares: vendas 30% maiores no varejo farmacêutico



A partir de Junho o Sincofarma e a MIX NUTRI estarão oferecendo “Doses de Nutrição” – cursos para treinar toda a equipe da farmácia para a venda de produtos e oferecer ao consumidor Imunidade em tempos de Covid-19. 

 

 

Um novo levantamento da Close-Up International indicou que os suplementos alimentares e complementos dietéticos sustentaram o crescimento das farmácias e drogarias nos últimos 12 meses até março. Além de encabeçar as vendas, a categoria apresentou o maior crescimento percentual do setor, com 30,5% na comparação com o mesmo período anterior.

“Sob clara influência da pandemia e do aumento da preocupação dos brasileiros com a imunidade, os suplementos movimentaram R$ 8,78 bilhões e responderam por quase 10% do faturamento do varejo farma, que chegou a R$ 95,45 bilhões”, ressalta Paulo Paiva, vice-presidente Latam da consultoria. A diferença desse resultado para o da segunda maior categoria – medicamentos para transtornos mentais – foi de mais de R$ 2 bilhões.

Os indicadores vão ao encontro de uma pesquisa encomendada pela  Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais (Abiad), que envolveu 2 mil entrevistados e revelou que 59% dos lares brasileiros têm pelo menos uma pessoa consumindo esse tipo de produto.

Na análise por marcas, as cinco principais respondem por 12% da receita total com suplementos. O Addera D3, da Hypera Pharma, teve faturamento de R$ 382,3 milhões, volume 57,3% superior ao do intervalo de abril de 2019 a março de 2020. A segunda e terceira colocações são da Nestlé, com o Ninho Fases e o NAN Comfor. O Dprev, da Myralis Pharma, assumiu o quarto lugar graças à maior evolução percentual da categoria, com avanço de 93,8%.

 

Fórmulas dietéticas líderes no canal farma (em R$ milhões)

Suplementos alimentares têm vendas 30% maiores no varejo farmacêutico

Fonte: Panorama Farmacêutico


Compartilhe


Comentários