Uso de Plantas Medicinais e Fitoterapia



Liliane Barros orienta para a utilização das plantas medicinais e fitoterapia que está na nossa vida há muitos anos.

 

Quem nunca usou um chazinho de Melissa para dormir melhor ou utilizou um Boldo para um desconforto estomacal, após a ingestão de alimentos exagerada?

E um shampoo com Extrato Glicólico de Camomila?  Que clareia os cabelos naturalmente, reduz a oleosidade e deixa os cabelos com brilho.

A Camomila também é utilizada em tratamentos para olheiras e é um excelente anti-inflamatório.

Você sabia que o Alfa bisabolol e o Azuleno são ativos extraídos da Camomila?

Não podemos deixar de citar a Babosa, que é um excelente hidratante e pode ser utilizada na cosmética em cremes, sabonetes e géis e outras formas farmacêuticas semissólidas.

O uso de ativos naturais é amplo. Utilizamos tanto para tratamento como para a cosmética.

Sem esquecer dos óleos essenciais também amplamente utilizados na nossa prática.

Para termos segurança no uso e na orientação é importante diferenciar o que é um extrato fluido, extrato glicólico, uma tintura e quando utilizamos uma e outra.

Então vamos lá!!

Os métodos de extração estão descritos nas monografias contidas no Formulário de Fitoterápicos – Farmacopeia Brasileira, mas é importante diferenciarmos os métodos extrativos, os solventes utilizados e as graduações alcoólicas.

As tinturas são soluções extrativas alcoólicas ou hidro alcoólicas preparadas a partir de planta ou um animal, através de maceração ou percolação.

O teor alcoólico varia de acordo com a solubilidade dos princípios ativos e isso está definido na monografia da planta na Farmacopéia. A relação de concentração droga/solvente pode ser de 10 % ou 20%.

Os extratos fluidos são preparações extrativas que contêm álcool, normalmente com concentração em torno de 50%.

Assim, quanto à posologia, utilizamos quantidade menores de extrato fluido do que de tintura. A concentração é maior.

As graduações utilizadas também são variadas, tais como 30, 45, 60, 70, 80ºGL.

E finalmente o Extrato Glicólico: que são preparações obtidas através da maceração ou percolação da droga vegetal, utilizando-se solventes que podem ser o Propilenoglicol ou Glicerina. A relação de concentração droga/solvente pode ser de 10 % ou 20%.

Dicas: é preferível utilizarmos o extrato glicólico para produtos de uso tópico, devido não ter Álcool como solvente. O Álcool deixaria o tecido mais ressecado.

A Glicerina e o Propilenoglicol que são utilizados como solventes, são substâncias umectantes e contribuem com uma melhor hidratação.

Espero ter contribuído com mais esta coluna !!

Fico por aqui!

Até a próxima semana com mais dicas magistrais!!!

Gratidão!

 


LILIANE BARROS é Consultora especialista também em veterinária:

WhatsApp: (11) 98269-8491
• Consultório – Rua: Barata Ribeiro, 380 – cj 26
Cerqueira César – São Paulo
Atendimento de terapias integrativas e complementares – Reiki, Florais, Meditação e Fitoterapia.

• Consultoria Técnica Magistral.
Instagram: @profa_liliane_barros
e-mail: lilianeabarros@gmail.com
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/liliane-almeida-barros-05118934

Fonte: Comunicação Sincofarma


Compartilhe


Comentários